Pesquisar este blog

quarta-feira, 27 de outubro de 2021

Acontecimentos no Brasil.


 "A maçonaria e o judaísmo, os dois tramadores de revoltas, nas trevas da noite, hão de aproveitar o momento para executar os seus planos de domínio mundial.

O protestantismo e o espiritismo, por sua vez, cheios de ódio contra a Igreja Católica, nada pouparão para perder o país que eles odeiam porque este país é essencialmente católico.
O ateísmo prático, que abre os braços ao nefando comunismo, aproveitará a ocasião oportuna, para um desabafo, em conjunto com os outros, de suas sanhas satânicas contra o catolicismo.
Todos se unirão, para se livrar, de vez e legalmente, dos 10 mandamentos da lei divina e das peias já insuportáveis do matrimônio.
Oh! Sem dúvida a nossa população é católica, porém até hoje não compreende bastante o seu papel social, não escolhendo governantes que respeitem a sua fé, mas entregando as rédeas dos governos, tanto municipais como estaduais e federais, às mãos daqueles que não partilham a sua crença.
O povo é católico, sim, como o é o povo francês, que entregou à maçonaria a corda e o patíbulo, com que os sectários o enforcam hoje na praça pública.
Para uma nação ser católica não basta o povo sê-lo; é preciso que governantes o sejam tanto e mais ainda do que ele.
Possa o exemplo da França tiranizada por uma dúzia de maçons, como o do México, estrangulado por uns ateus, como o da Rússia, assassinada pela fome por uns exploradores, como a Espanha, banhada no sangue de seus filhos, servir-nos de aviso...
A história do passado é a mestra da vida do futuro, para quem sabe observar os fatos e seguir-lhes o desenrolar através do tempo.
O Brasil é católico, não há dúvida; mas quantos maus católicos, católicos tíbios e até indignos, há em nossa terra!... e são estes os que preparam a ruína de seu país e da religião.
Abramos os olhos, enquanto é tempo; e tomemos precauções contra o mal, antes que ele seja irremediável. Amanhã, talvez seja tarde demais!"

- Pe. Júlio Maria de Lombaerde. O fim do mundo está próximo? Profecias antigas e recentes. Rio de Janeiro: livraria da Boa Imprensa, 1940, 34-36.

O Sacramento da Confirmação administrado SOB CONDIÇÃO

 


O SACRAMENTO DA CONFIRMAÇÃO ADMINISTRADO SOB CONDIÇÃO



Tendo em vista as inúmeras dúvidas em torno do tema da administração do Sacramento da Confirmação (ou Crisma), sob condição, esse texto tem o propósito de esclarecer alguns pontos.

1. Os Sacramentos conforme o Catecismo Maior de São Pio X

520) Quantas coisas se requerem para fazer um Sacramento?
Para fazer um Sacramento requerem-se a matéria, a forma, e o ministro, que tenha intenção de fazer o que faz a Igreja.

521) Que é a matéria dos Sacramentos?
A matéria dos Sacramentos é a coisa sensível que se emprega para os fazer; como, por exemplo, a água natural no Batismo, o óleo e o bálsamo na Confirmação.

522) Que é a forma dos Sacramentos?
A forma dos Sacramentos são as palavras que se proferem para os fazer.

523) Quem é o ministro dos Sacramentos?
O ministro dos Sacramentos é a pessoa que faz ou confere os Sacramentos

Ora, daí se tem os requisitos básicos para um sacramento, a saber, matéria, forma e ministro que tenha a intenção de fazer o que faz a Igreja.

2. A alteração do rito e o “espírito do Concílio”

Em 15 de agosto de 1971, através da “Constituição Apostólica Divinae Consortium Naturae”, o Papa Paulo VI apresenta o novo rito do Crisma, a fim de REVISAR o rito anterior para atender ao espírito do Concílio:

O Concílio Ecumênico Vaticano II, ciente de suas finalidades pastorais, tratou com particular cuidado desses sacramentos da iniciação, prescrevendo que os relativos ritos fossem submetidos a oportuna revisão, para que estivessem mais ao alcance da capacidade de compreensão dos fiéis.

Não é demais ressaltar a orientação clara de Monsenhor Lefebvre sobre essa motivação do Concílio de alterar todas as coisas baseados no “espírito do Concílio”:

(...) Temos fundamentos para afirmar, com argumentos tanto de crítica interna quanto de crítica externa, que o espírito que dominou o Concílio e inspirou tantos textos ambíguos e equívocos e até francamente errôneos não é o Espírito Santo senão o espírito do mundo moderno, espírito liberal, teilhardiano, modernista, oposto ao reino de Nosso Senhor Jesus Cristo. Todas as reformas e orientações oficiais de Roma são pedidas e impostas em nome do Concílio. Precisamente, estas reformas e orientações são todas de tendência francamente protestante e liberal. É desde o Concílio que a Igreja, ou pelo menos os homens da Igreja que ocupam os postos chaves, tomaram uma orientação claramente oposta à Tradição, ou seja, ao Magistério oficial da Igreja.

3. O que mudou?

forma tradicional do sacramento da confirmação é a seguinte:


“Eu te assinalo com o sinal da cruz, e te confirmo com o crisma da salvação. Em nome do Padre, e do Filho, e do Espírito Santo. Amém.”


nova forma do novo rito para o sacramento da confirmação é a seguinte:


“N., recebe, por este sinal, o Espírito Santo, o Dom de Deus.”

matéria tradicional do sacramento da confirmação:

578) Qual é a matéria deste Sacramento?
A matéria deste Sacramento, além da imposição das mãos do Bispo, é a unção feita na fronte da pessoa batizada, com o santo Crisma; por isso, este Sacramento se chama também Crisma, que significa Unção.

579) Que é o santo Crisma?
O santo Crisma é óleo de oliveira misturado com bálsamo, e consagrado pelo Bispo na Quinta-Feira Santa.


matéria nova do sacramento da confirmação: outros óleos vegetais podem substituir o óleo de oliveira, e qualquer outra especiaria pode ser usada em lugar do bálsamo.

Em 03 de dezembro de 1970, um decreto da Congregação dos Ritos autorizou a utilização de outros óleos vegetais na administração dos Sacramentos: Ordo benedicendi olea et conficiendi chrisma, n.3 & 4. Além disso, o Novo Código de Direito Canônico (cân. 847) diz: “Na administração dos Sacramentos em que são empregados os Santos Óleos, o ministro deve utilizar o óleo de oliva ou outros óleos vegetais consagrados ou bentos pelo Bispo, etc”. 
Catecismo Católico da Crise na Igreja. Pe Matthias Gaudron.
Editora Permanência. 2011

Ainda a esse respeito, trazemos uma citação do Padre Luiz G. da Silveira D’Elboux, S.J. contida em sua obra “Doutrina Católica compendiada hoje para adultos”, Edições Loyola, 1997:

226 – Qual é a matéria ou sinal sensível deste Sacramento?
R – A parte material deste Sacramento consta da imposição das mãos e da unção, em forma de cruz na fronte do crismando, feita com o santo crisma – que é a mistura de um óleo vegetal e um bálsamo odorífero, consagrado pelo Bispo na Quinta-feira Santa, significando a fortaleza e o bom odor das virtudes.

4. O que pensar da validade do Sacramento?

Tendo em conta todas as mudanças, a validade da nova confirmação é muito duvidosa.

5. Em que consiste a administração do sacramento “sob condição”?

Em virtude da dúvida na administração de um sacramento que não pode ser repetido (ou seja, batismo, crisma ou ordem), pode-se reiterar o sacramento “sub conditione”, ou seja, sob a condição de ter sido inválido na primeira vez.
Em outras palavras, caso não tenha sido válido na primeira vez, será administrado o sacramento. Caso tenha sido válido, nada muda.
No caso do Crisma, antes de dizer a forma do sacramento, o bispo dirá “N, se não és crismado” e então segue a forma “Eu te assinalo com o sinal da cruz, e te confirmo com o crisma da salvação. Em nome do Padre, e do Filho, e do Espírito Santo. Amém.”

Dessa maneira resolve-se tanto a dúvida sobre a validade do sacramento como o sacrilégio da simulação do sacramento já administrado, uma vez que só se cumprirão os efeitos caso a primeira administração tenha sido inválida.

6. Isso é permitido pelo Código de Direito Canônico?

SIM, isso é previsto tanto no Código de Direito Canônico de 1917 (Código Pio Beneditino) como no promulgado por João Paulo II em 1983, conforme vemos abaixo:

Código Pio Beneditino (1917)

Cân. 732

§ 1. Não se podem reiterar os sacramentos do batismo, da confirmação e da ordem, os quais imprimem caráter.
§ 2. Quando porém houver dúvida prudente acerca de se na verdade foram administrados ou se o foram validamente, devem administrar-se novamente sob condição.

Código de 1983:
Cân. 845
§ 1. Os sacramentos do batismo, confirmação e ordem, já que imprimem caráter, não podem ser repetidos. § 2. Depois de feita diligente investigação, permanecendo dúvida prudente se os sacramentos mencionados no § 1 foram recebidos de fato, ou se o foram validamente, sejam conferidos sob condição.

7. Diante disso, o que fazer?

Diante dessa situação de Crise na Igreja e da DÚVIDA quanto à validade do novo rito, os Bispos tradicionais confirmam seus fiéis que “foram confirmados” no modernismo SOB CONDIÇÃO.
Cabe aos fiéis buscar esse sacramento para sanar toda e qualquer dúvida com relação a administração.
Os adultos que desejarem receber o Sacramento da Confirmação devem estar suficientemente instruídos nas Verdades da Fé, e, de modo especial, no que se refere a este Sacramento.


8. A posição de Monsenhor Lefebvre


Eu concordo com o desejo dos fiéis que me pedem a confirmação válida mesmo se ela não é lícita, porque nós estamos num tempo no qual o direito divino natural e sobrenatural prevalece sobre o direito positivo eclesiástico quando este se opõe ao primeiro em lugar de lhe ser o canal. Estamos numa crise extraordinária e não se deve admirar de que eu adote por vezes uma atitude que se afasta da ordinária.




Fonte: http://www.capelasaojose.com.br/2017/01/o-sacramento-da-confirmacao.html

segunda-feira, 23 de dezembro de 2019

Motu proprio summorum pontificum (Assistir ou não? eis a questão!)


Traduzido da Revista Sel de la Terre, nº 70 (Couvent dela Haye-aux-Bonshommes, 49240, AVRILLÉ – FRANCE).

Na saída da capela, o padre discute com um fiel, Filipe, de 17 anos. Durante a conversa, Filipe conta como se passou o seu último fim-de-semana com amigos da região de Paris. Filipe diz que o grupo escolheu ir à missa dos ralliés²
Filipe: Mas porque este ar reprovador? Não é a missa verdadeira?
Padre: Sem dúvida, a missa é boa. Mas isto não é o principal.
Filipe: Não é o principal? Mas o que é que falta, padre?
Padre: Bem, vou fazer uma comparação. Um licor é uma boa coisa, não é? (Filipe concorda com um sorriso). Pois bem. Mas cada vez que se bebe um licor, não se faz necessariamente uma boa ação (Filipe compreende). Ocorre algo de semelhante com a santa missa. Uma coisa é o fato de a missa ser, em si mesma, uma boa coisa. Mas é preciso também que o assistir a essa missa seja também bom; é necessário que a assistência a essa missa seja uma boa ação.

Matrimônio

CONTRACEPÇÃO?


Os que usam do Matrimônio para ter a relação sexual empregando meios de evitar a geração, cometem um pecado mortal gravíssimo

Enumeremos as razões:

1° É contra a mente de Deus. O ato sexual foi instituído por Deus para a geração.
2° É contra a natureza. A natureza indica o fim da união dos sexos.
3° É contra o matrimônio. No contrato matrimonial faz-se a doação dos corpos em vista da geração dos filhos. 


O Catecismo da Igreja, na sua linguagem enérgica, enumera o pecado sensual contra a natureza entre os "pecados que bradam aos céus e pedem vingança a Deus."

Para se ter uma noção melhor da perversidade, basta considerar que a prostituição ou mesmo a infidelidade conjugal (embora pecados mortais) são menos graves do que ele.

Pe. Alvaro Negromonte, Noivos e Esposos, pág 125.

Quaresma de São Miguel Arcanjo

Acontecimentos no Brasil.